• Reflexões

    Aceite-se como magí

    Parece simples nos aceitar como quem porta as forças originais da natureza, de maneira com que nos favoreça com a sorte de sermos benquisto pelo cosmo e então, manipular a Fâtâ( conceito similar a ideia de magia), mas não é tão simples assim. Isso porque, existe uma imanente vontade humana de remar contrária as forças naturais e simples. Desejamos com muita força, buscar respostas nas vias mais complexas, como se a simplicidade não fosse capaz de nos satisfazer. A simplicidade também porta o óbvio e nós, como humanos, principalmente nesse atual modelo de sociedade, parecemos estar, em grande número, crentes que no óbvio é impossível existir alguma verdade ou algo…

  • Reflexões

    Detalhes da infância que despertam a maturidade

    Quando somos crianças, normalmente damos atenção a algumas coisas, em nossos momentos secretos. Ali, em silêncio, com nossas fantasias e imaginações, vemos um avião numa folha de árvore, uma espada num galho, mas também conseguimos ver e sentir a delicadeza das pétalas de uma flor e, se encantar com isso. Compreender essa beleza, lá no inicio de nossa caminhada nessa experiência humana em que nos encontramos, faz toda a diferença. As vezes, alguns de nós procuramos nesses lugares secretos, entre matas, casas na árvore, até naquele esconderijo atrás do campinho de futebol, ou numa área da escola que sabemos que quase ninguém vai até ali; nossa paz, nosso canto, nosso…

  • Reflexões

    Bâtv e o desejo

            “Eu não consigo viver sem você” Todos nós já nos deparamos com uma dor em comum. Uma espécie de castigo que nos rasga de dentro para fora, num grito mudo de desespero que nos faz poetizar a morte lenta, fria e escura.         Nosso espírito marrento, difícil de dobrar, insiste em nos fazer sentir estranhas sensações que, ao contrário do que conscientemente não se diz, inconscientemente, mergulhamos prazerosamente.         De imediato, olhamos para o amor como uma excrecência; algo não muito natural e, ficamos felizes apenas com as paixões calorosas, com as promessas vazias de amor submergido no presente e, que ali morrerá, assim que partirmos.         Mas, quando…

  • Ad Astra

    Ad Astra | Astrologia Cainita

    Mesmo antes do sol e a lua serem considerados planetas, os homens da Terra, magís, em grande maioria, buscavam nas estrelas as respostas para seus destinos. Aqueles que viviam a que hoje chamamos de Filosofia Especulativa Mistérica, ou seja, a Filosofia Ancestral Cainita na prática, viam nos céus, mais do que um show de luzes e de mistérios. Eles encontravam no caminho da casa de seus espíritos, a intuição necessária para compreender a mensagem dos deuses que hoje vamos entender como cosmo e suas leis regentes eficazes. Os Cainitas, membros da Ordem de Kâæz, chamam esses sistemas astrológicos de AD ASTRA e, usando do lema ‘filius stella, stella parum est’…