Reflexões

Aceite-se como magí

Parece simples nos aceitar como quem porta as forças originais da natureza, de maneira com que nos favoreça com a sorte de sermos benquisto pelo cosmo e então, manipular a Fâtâ( conceito similar a ideia de magia), mas não é tão simples assim.

Isso porque, existe uma imanente vontade humana de remar contrária as forças naturais e simples. Desejamos com muita força, buscar respostas nas vias mais complexas, como se a simplicidade não fosse capaz de nos satisfazer.

A simplicidade também porta o óbvio e nós, como humanos, principalmente nesse atual modelo de sociedade, parecemos estar, em grande número, crentes que no óbvio é impossível existir alguma verdade ou algo que garanta-nos a satisfação da descoberta e resposta.

É por isso que ainda funciona esconder algo, metaforicamente, debaixo dos narizes populares. Engrandecendo a máxima “se quiser ocultar algo de alguém, esconda debaixo do nariz dela”, uma vez que nós somos teimosos em aceitar que na simplicidade também existe verdades e, para algumas coisas, somente nesse singelo caminho poderemos encontrar o que estamos buscando.

Assim, aceitar que portamos a Fâtâ também não é uma ação comum. Porque o conceito de magia e suas riquezas, não parecem estar presentes no simples e, então nos fadigamos com milhares de livros e informações, sem nenhuma prática, na esperança de encontrar o simples quando o dito, está no fato de que, quem porta tal força, nenhuma força é necessário empregar.

Por tanto, eu gostaria que você refletisse no seguinte: Será possível que ao invés de tentarmos tantos códigos, feitiços e complexas conjurações, o tempo todo a Filosofia Ancestral Cainita pode estar certa que o óbvio não é tendencioso e sim oportuno e nele habita sua resposta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *